Prurido Gestacional (ou uma Coceira Insuportável) | Primeira Gravidez


Olá! Tudo bem?!

Já te peço desculpas pelo sumiço aqui no blog! 
Porém, eu não poderia deixar de compartilhar essa experiência durante a minha gravidez, como forma de alerta à outras mulheres, gestantes e respectivos (as) companheiros (as). 

Compartilhei no meu último post "Primeira Gravidez | Sintomas, (Muitos) Desejos e Aversões", os primeiros sintomas que senti e por mais que a mudança em meu corpo fosse nítida e muito doida, na minha opinião, a minha gravidez foi bem tranquila. 

Porém, foi a partir da 30ª semana, após um ultrassom de rotina, que essa tranquilidade passou: passei a sentir uma coceira insuportável na minha barriga! E quando digo insuportável é porque não se trata daquela coceira que ocorre apenas pelo estiramento da pele e que pode "causar" as tão temidas estrias.

Observação! Segundo a minha dermatologista, estrias e manchas na pele que, normalmente, aparecem ou ficam mais evidentes durante a gravidez são genéticas. Tratamentos e cremes ajudam a minimizar a intensidade, mas não evitam, caso você tenha propensão a isso. Então, não se iluda e muito menos entre na paranoia das mulheres que te disserem "Coceira? Ixi, isso é estria aparecendo, viu? Quanto mais você coçar, mais marcado o seu corpo fica". 

Depois de uns 10 minutos de intensa coceira, após o ultrassom, o sintoma foi diminuindo, mas cocei tanto o local que cheguei a me machucar e assim, a barriga começou a arder. Fiquei muito assustada, pois nunca havia sentido aquilo! 

E ao conversar a respeito com a minha ginecologista obstetra foi quando tive o diagnóstico: prurido gestacional. E quando eu comento com as pessoas, até hoje, todas me disseram nunca terem ouvido falar disso. Então, vamos lá!


O que é?

Prurido gestacional é um tipo de dermatose (ou manifestação cutânea) que ocorre devido à produção excessiva de hormônios, mais especificamente, o estrogênio e que uma minoria das gestantes apresenta durante a gravidez.

Sintomas

Aparece por volta da 25ª semana, num local específico ou no corpo todo, em forma de uma coceira super intensa, podendo apresentar piora ou melhora ao longo das semanas, mas não o sumiço total ou sua cura. Na maioria dos casos, isso passa em até 48 horas após o parto ou em exceções, o quadro pode se estender por mais algumas semanas. 

Prevenção

Infelizmente, até o momento, não há como identificar previamente se a gestante terá ou não esta condição. E mesmo que ela tenha na primeira gravidez, não quer dizer que o mesmo acontecerá nas seguintes e vice versa. 

Tratamento e Cura

Primeiro, procure sempre o (a) médico (a) que está acompanhando o seu pré natal para que você receba tratamento adequado e de acordo com o seu caso, combinado? 

No meu caso, a minha coceira foi aumentando com o passar das semanas e conforme eu fazia outros ultrassons. Então, num primeiro momento, as recomendações foram: 
  • evitar sol ou lugares quentes, pois o calor ativa ainda mais a coceira
  • por conta do calor e também aquecimento do corpo, tive que suspender exercícios físicos, no meu caso, o pilates
  • manter o local da coceira seco e bem arejado, ou seja, o climatizador tem sido o meu melhor amigo nesse período
  • tomar banhos mornos para frios, porém, rápidos, pois a água, independente da temperatura, também aumenta a intensidade da minha coceira
  • não passar nenhum tipo de creme, mesmo que leves, sem fragrância ou hipoalergênicos. No meu caso, eu ainda arrisco passar uma quantidade bem pequena de óleo de coco, quando eu sinto menos coceira ou ardência na pele, pois sinto que isso ajuda muito na cicatrização da minha pele (sim, há vezes em que coço até machucar e sangrar a pele, tamanha é a intensidade da coceira)
Porém, umas 2 semanas depois dos primeiros sintomas, a médica precisou receitar um antialérgico e na semana seguinte, também após um ultrassom, sabíamos que a intensidade da coceira seria ainda maior, então a recomendação foi para que eu me direcionasse imediatamente para o pronto socorro.

No hospital, fizeram uma medicação intravenosa de antialérgico e corticoides para reduzir a minha coceira, o que realmente fez muita diferença por 2 dias até a minha próxima consulta. Na consulta, a médica me passou outro antialérgico, um pouco mais forte que o anterior, para eu tomar até o parto e um corticoide para tomar por poucos dias. 

Prurido e o bebê

Essa coceira é benigna e não afeta o bebê e a mulher sentirá o alívio após o seu nascimento. Porém, dependendo do caso, pode causar partos prematuros. 

Importante! Cada caso é um caso! A coceira pode apresentar outras complicações, sendo uma delas ligada ao fígado e exigirá outras análises. Por isso, não vou nem mencionar os remédios que tomei para que, independente do que houver, você procure o seu médico!

Enfim, como a minha gravidez tem sido tranquila, com exceção, claro, dessa coceira e a minha saúde e o desenvolvimento do bebê estão ótimos, a médica decidiu não pedir outros ultrassons para "não causar sofrimento desnecessário" e isso já me trouxe um alívio que você não imagina!

Sinto que a coceira diminuiu depois de quase 4 semanas do último ultrassom. Tenho me cuidado bastante, evito sair de casa, o que tem sido ótimo para cuidar de mim, descansar e cuidar dos últimos detalhes para a chegada do bebê. 

Como ajudar uma grávida nessas condições

Se ela já recebeu instruções médicas, apenas pergunte à ela o que você pode fazer para ajuda-la e o mais importante: mantenha a calma! Muitas perguntas, conselhos e palpites do que fazer ou não só nos deixam mais preocupadas e agitadas, o que faz com que a coceira fique mais irritada. Uma rede de apoio é essencial nesse momento!

E acredite quando a grávida disser que...

...sim, os sintomas podem melhorar, mas que isso só passa depois do parto.
...ela já fez tudo o que pôde e que está esperando a crise passar (pois provavelmente ela já sabe o que melhora ou piora a situação ou está em fase de observação)
...quer ficar mais reservada em casa, sem poder sair para encontrar as pessoas ou receber visitas, pois se estiver calor, ela deve querer ficar em casa, vestindo um top e um shorts ou só calcinha mesmo, com o ventilador direcionado na sua coceira. O que é uma das melhores formas de preveni-la e minimiza-la. 

De modo geral, a sua calma e compreensão nessa hora são essenciais para uma grávida nesse estado.

Aprendizado

No início, por causa da intensidade da coceira e ardência aliados à falta de conhecimento e informação sobre o assunto, me deixaram meio apavorada. Não porque eu achava que isso poderia afetar o bebê, pois a médica disse que isso não o afetaria, mas porque eu achava que eu não seria capaz de suportar tal condição, chegar até o final da gravidez e assim, poder proporcionar o desenvolvimento completo ao meu bebê. 

Depois de algumas semanas lendo a respeito, vendo possibilidades com a médica para minimizar a coceira, me observando mais e cuidando de mim, percebi que os meus maiores aprendizados com o prurido foram: 
  • conhecimento e informação dão muita segurança: quando eu comecei a entender os sintomas, o tratamento, a prevenção e que isso vai passar, fiquei bem mais tranquila! E percebi o quanto essa falta de conhecimento e informação sobre o assunto apavorava e ainda apavora muita gente que conversa ou encontra comigo.
  • sou muito mais forte do que eu imaginava: nós nos subestimamos como indivíduos, principalmente, como um ser com todo o potencial de uma natureza perfeita para gerar outro ser humano. E realmente, quando se trata do seu filho, você faz o possível e o impossível por ele! E quando digo isso, não me refiro à você chegar até o final da gestação, mas sim, entregar o seu melhor, dentro das condições viáveis para você e seu bebê. 
O post foi longo, mas eu queria compartilhar o máximo de informações possíveis aqui sobre esta experiência que, sim, atinge uma minoria das grávidas, mas atingiu a mim e senti uma certa dificuldade em encontrar mais materiais e depoimentos sobre o assunto. 

Espero, de verdade, que você nunca tenha que passar por isso, mas caso você conhecer alguém nestas condições, compartilhe esse post com ela, combinado? E é aquilo: é um grande desafio, mas passa!

Beijos e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)