Primeira Gravidez | Sintomas, (Muitos) Desejos e Aversões


Queria compartilhar aqui, não apenas o que aconteceu, mas também as minhas sensações e pensamentos com relação a isso antes e agora.

Como as duas gravidez da minha mãe foram muito tranquilas, a única coisa que tomava como referência dela era a idade. A minha mãe me teve aos 38 anos e minha irmã, aos 42. Então, não me preocupava muito em ter filhos depois dos 30 anos, pois além disso, eu faço acompanhamento médico e exames anuais há muitos anos e tudo me indicava que essa minha decisão era coerente.

Importante! Independente deste caso, procure sempre a opinião e acompanhamento de um profissional. Cada caso é um caso! 

Porém, no mais, antes, eu achava que tinha me preparado para todas as possibilidades que eu poderia sentir, porque cada gravidez é uma gravidez, não é mesmo?

E claro, eu já tinha conversado também com as mães da família e amigas, além de ler e ver muitos textos e vídeos na Internet falando sobre os vários sintomas e os possíveis desejos dessa fase, mas eu pensava que eram...ok, sabe? No sentido de sim, podemos ter tudo isso, mas o que eu não imaginava era o tamanho da intensidade!

Os sintomas, para mim, até foram dentro do esperado e ocorreram muito mais no 1º trimestre:

- Enjoos: os matinais eram os piores!
- Inchaço
- Seios, de repente, maiores e doloridos 
- Maior sensibilidade emocional: eu quase não chorava em filmes, agora, choro até com aqueles vídeos curtos do Facebook. Ah! E tive umas 2 semanas de ataque de riso, do nada, quando ia dormir! Vai entender...
- E muita fome! Eu acabava de almoçar ou jantar e já sentia fome, mas não de comer uma fruta ou doce, queria outra refeição! Mas me controlava, senão...rs

Mas se tem algo que eu fui relutante por algumas semanas foi o sono. Eu ouvi grávidas e mães dizerem que o sono é incontrolável e gente! É absurdo o sono que se sente por conta dessa mudança toda!! 

Nunca fui uma pessoa que dorme além das 7 ou 8 horas por noite. Quem dirá dormir à tarde! Mas, com a gravidez, depois do almoço ou no final da tarde, eu encostava no sofá e capotava, de verdade! E quando acordava, lá se foram quase 2 horas de sono. 2 HORAS de sono! Tem noção??

Sinceramente, hoje, tenho uma admiração ainda maior por você, mãe, que trabalhou até o final da gestação, indo e voltando todo o dia da empresa, mesmo com essa avalanche de hormônios e sintomas no seu corpo! 

E conversando sobre os sintomas, uma amiga me disse "Você vai ver, 2º trimestre é vida!".

E se você não for aquela grávida que tem enjoos e mal estar a gravidez toda, acredite: 2º trimestre realmente É VIDA!! 

Não estou mais me achando uma estranha no meu próprio corpo, pois vamos combinar? É tanta mudança acontecendo física e emocionalmente, em tão pouco tempo, que não dá para se achar linda e maravilhosa nesse período! Pelo menos, foi o que aconteceu comigo...

Ou seja, sou outra pessoa! rs Agora sim, estou curtindo a gravidez, a organização de todos os detalhes e tenho MUITO mais disposição! 

O sono ainda é algo presente, mas só quando eu tenho um dia mais agitado, então meu corpo já me 'diz' que preciso de um descanso e realmente, me permito isso. 

E sobre os desejos, esse foi o ponto mais curioso que tive: eu sabia que isso acontecia, mas não sabia que as vontades vinham do nada e que isso ficasse na cabeça até você conseguir comer o que queria, do jeito que queria. 

Até agora, os desejos foram muito mais presentes no 1º trimestre:

- Lasanha à bolonhesa
- Uva
- Abacate

Uma publicação compartilhada por Rejane Akemi (@rejaneakemi) em

- Bolo de chocolate com cobertura e recheio de chocolate
- Pão na chapa com queijo (mussarela!) derretido
- Salada de maionese
- Frango assado
- Pão francês com linguiça de churrasco e vinagrete

Este último, eu só consegui matar a vontade (e que vontade!) na semana passada e preciso dizer: melhor pão com linguiça e vinagrete que já comi na vida! rs 

E por tudo isso, hoje, eu entendo e respeito ainda mais um desejo de uma grávida. Está com vontade? Faça a vontade, pelo amor!

E por último, as aversões: eu, sinceramente, achava que eu sentiria aversão por algo que eu não gostasse ou não fizesse tanta questão no meu dia. Ledo engano, mais uma vez, né? 

Sempre gostei muito de tomar missoshiru (sopa japonesa a base de soja) e hoje, não consigo sentir o cheiro, quem dirá, tomar a sopa! Pepino é algo que eu sempre comi também, mas nem foi pelo cheiro ou gosto que parei de consumi-lo, mas porque, de alguma forma, não me cai bem mais no estômago, a ponto de passar mal mesmo...

Além disso, cheiros florais me incomodam muito, seja de amaciante, desinfetante, desodorante ou perfume. Tanto faz! A aversão não é tanta como o missoshiru, mas tem que ser beeem suave para convivermos em paz, num mesmo ambiente rs

E como foi a sua gravidez ou da sua companheira, amiga, irmã, enfim? Você esperava tudo isso ou teve as mesmas surpresas que eu tive? 

Compartilha aqui com a gente também! Vai ser ótimo poder saber outras histórias!

Beijos e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)