Fala Patti: Sobre a banalização do amor


Ei gente!
Tudo bem?

Domingo de manhã quando estou escrevendo esse texto.
Aqui, com meu cafézinho, com um tempo esquisito que tá fazendo (meio friozinho, até... vai entender São Paulo, né?), sozinha em casa, me peguei pensando na vida.



Muita coisa aconteceu comigo nesse período de hiato do blog. Mas MUITA coisa. E quando eu achei que a vida tava entrando nos trilhos de novo, pimba! Muita coisa mudou... de novo!
Não estou aqui pra falar dessas mudanças, até porque isso renderia uns 16 Fala Patti! Vou deixar essa pauta pra depois!
Hoje eu estou aqui pra conversar com você sobre a banalização do amor.

Eu ouvi isso esses dias, de alguém que estava ate incomodado com essa "banalização". Segundo essa pessoa, "eu te amo" virou "bom dia". Perdeu a importância. Banalizou.

Fiquei pensando tanto nisso - mais pelo fato de sempre citar o amor nas minhas redes sociais, por exemplo. Será que eu banalizei o amor? Onde está o amor?
  • No dia que as coisas por aqui apertavam, eu corria pro colo dos meus pais e da minha irmã. O olhar deles de preocupação, o carinho... me ajudavam a sair das horas de crise. Isso é o que? Amor.
  • Também incluo a preocupação dos meus amigos, a paciência em entender que nem sempre eu estaria presente nos compromissos (por não estar bem mesmo, depressão é uma merda) e ainda assim, me cobriam de carinho e compreensão. E isso também é amor.
  • E as conversas, os conselhos, os áudios enormes no Whats App das amigas que me faziam companhia. Até das vezes que a Akemi me fez lembrar do que era realmente importante(e sério, não foi só uma vez, foram várias!!). Amor!
  • Das minhas alunas queridas das aulas de terça, que me olham com um olhar carinhoso toda vez que terminam uma peça em feltro (eu contei isso aqui? Tenho dado aula de feltro todas as terças para um grupo de senhorinhas). É tanto amor que nem sei!
  • O meu trabalho,que tenho tentado colocar cada vez mais amor - porque percebi a diferença que isso faz no resultado final.
Hoje de manhã, até as lambidinhas do Amigão me fizeram lembrar que o amor está em tudo mesmo. A gente é que não vê. Li uma frase do @blogdolucao que me fez pensar muito em como eu gostaria de ver a vida:

Gente, alguém conhece esse moço? O insta dele é maravilhoso! Sigam!!


Mas Patti, sua louca! O que isso tem a ver com o amor banalizado?
Eu sinceramente estou doida pra ouvir a sua opinião sobre isso, leitor querido! Você acha que o amor banalizou? Ou a gente é que não sabe olhar as coisas com amor?

Na minha opinião, se me permite, banalizamos tanta coisa hoje em dia. Por que não banalizar o amor?

<3
Um beijo e até mais!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)