Explorando São Paulo | Manish Culinária Árabe


Eei gente!
Tudo certinho?

Olha, eu sempre falava que eu não gostava da cozinha árabe. Esse negócio de homus, babaganuch, coalhada... Isso nunca foi pra mim. E em contrapartida, o noivo AMA a culinária árabe. Ele sempre insistiu para que fossemos comer num restaurante bom, para que eu pudesse experimentar de verdade.
Aí entra aquele dilema; falou em restaurante legal, falou comigo mesmo. Mas e se eu não gostar da comida?
Mesmo assim, no dia do meu aniversário, decidimos arriscar porque a vida é isso, né nom? Fomos ao Manish e meuza migo...


Fomos na unidade do Itaim (Av. Horácio Lafer, 491) por indicação do chef da casa, o Kleber Klock. O salão é super confortável e bem amplo - e por se tratar de uma segunda feira à noite, estava bem tranquilo. Mas não costuma ser assim aos finais de semana e durante os horários de almoço.
Optamos em sentar num cantinho para ficarmos mais a vontade, embora nem precisasse: aquilo que eu odeio nos restaurantes, uma mesa colada na outra, não é um problema no Manish.
O atendimento também foi impecável, tanto na recepção quanto na hora do garçom nos explicar o cardápio.
Resolvemos experimentar o menu degustação, porque seria uma ótima maneira de provar de tudo um pouco. Se fosse para pedir um prato cada um, tenho certeza que eu iria no trivial e não iria comer nada diferente.

Foram quatro "rodadas", separadas por entrada, prato principal e sobremesa, tudo já incluso no valor (R$160, para duas pessoas comerem com tranquilidade).


A primeira rodada veio com uma cesta de pães bem frescos, que ainda estavam quentinhos (e no calor da emoção acabei não fotografando, sorry!) para comer com o trio de pastas homus, coalhada seca e babaganuch, o trigo grosso, o kibe cru e a linguiça árabe. Eu já tinha comido o kibe cru em outro restaurante e tinha gostado, mas nem de perto se parecia com este. E o trio de pastas, que era minha maior repulsa da culinária árabe, estava simplesmente delicioso!! O Léo classificou como o melhor babaganuch da vida, para vocês terem ideia.


A segunda rodada veio os charutinhos com um tabule que estava divino. Os charutos eu confesso que não comi e explico... 


...Perguntamos e fomos informados que a próxima rodada seria de camarões, que o Léo é alérgico. Por essa razão, ele comeu os charutos e eu me acabei nos camarões que estavam numa caminha de abobrinha e vieram acompanhados por uma batata bem sequinha.


Chegamos ao prato principal já não aguentando mais comer, juro! Cordeiro, kafta, cuscuz marroquino e arroz com lentilhas. Tudo quentinho e fresquinho.
Ainda no menu degustação estava incluída a sobremesa, que mal conseguimos comer. Não consegui tirar foto por motivos de: era meu aniversário e a sobremesa veio com velinha e tudo, acompanhado de um parabéns. Eu adorei a surpresa. Peguei a foto na internet para mostrar pra vocês; Chocolamour! Divino!



Depois de tudo isso eu concluí que nunca havia gostado da culinária árabe antes porque nunca tinha comido direito! Rs... Não teve absolutamente nada que eu não tenha gostado MUITO! Voltaria, com certeza!
Concordo que o menu degustação não é lá muito barato, mas para duas pessoas foi mais que bem servido. E além dele, há outros pratos na casa com preços bem atrativos. Acho que vale a pena a visita! 
Agora quero saber de vocês também: tem algum restaurante árabe pra me indicar? ;)

Espero que tenham gostado do Explorando São Paulo de hoje!
Um beijão e até mais! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)