O que Fazer com o Seu FGTS - Contas Inativas


Semana passada, falamos sobre as contas inativas do FGTS, como identificar se você tem ou não direito ao benefício e como consultar o seu saldo (link do post AQUI). 

Neste post, vou sugerir o que você pode fazer com o valor do FGTS. Veja bem: são sugestões, mas você escolhe o que é melhor para o seu caso, combinado?


1) "Tenho dívidas, mas os juros não são altos e estou conseguindo pagar as contas mensalmente. A melhor alternativa não seria aplicar o FGTS do que usa-lo para quitar as dívidas?"

Nada melhor que um especialista na área para responder essa questão:
"Jamais entrem em dívidas se tiverem recursos poupados. Os juros das dívidas com certeza serão maiores que os juros que vocês deixarão de ganhar ao sacar investimentos" (trecho do livro 'Casais Inteligentes Enriquecem Juntos' do autor e especialista financeiro, Gustavo Cerbasi) 

Para tudo, pense sempre no valor total. De uma dívida de R$ 1.000,00, você prefere quitar agora à R$ 1.100,00 ou parcelar para pagar um total de R$ 1.800,00?

2) "Vou resgatar o FGTS, mas não quero arriscar no investimento. Posso deixar na poupança?" 

Não deixar na conta corrente, já é uma boa saída, mas o rendimento da poupança é muito baixo se comparado à outros investimentos. Além disso, o percentual ainda fica abaixo da Selic, a taxa básica de juros que controla a inflação.

A poupança (no período que este post foi escrito - Fevereiro/2017) rende só 8,4% ao ano, sendo que a Selic gira em torno de 13% ao ano.

Ou seja, na poupança, apesar da garantia do rendimento, você perde dinheiro diante da situação econômica atual. Então, a resposta é não. Não deixe na poupança.

3) "Não preciso do dinheiro agora. Posso deixar o saldo na minha conta do FGTS para rendimento?"

Primeiro, o recurso estará disponível apenas até 14 de Julho e de acordo com o calendário de saque. Depois, os saques serão permitidos de acordo com as demais regras (no post anterior, deixei a lista dos perfis que têm direito ao saque).

Segundo, o rendimento do FGTS fica entre 5% e 6% ao ano, ou seja, é ainda mais baixo que o da poupança. Então, não. Saque o benefício e invista o dinheiro em outro lugar.

4) "FGTS, não. Poupança, não. Então, qual o melhor investimento para o meu FGTS?"

Apesar do receio que muita gente tem de conversar com o gerente da conta, pois acham que eles só querem tirar vantagem da situação, ainda acho válido fazer isso, pois eles sabem as condições da sua conta e o que o banco, entre as opções disponíveis, pode oferecer de melhor para o seu investimento. Porque eles só ganham se a carteira de clientes deles estiverem bem gerenciadas, entende?

Além disso, claro, informação é sempre bom. Então, a primeira sugestão é aplicar o seu dinheiro em mais de um investimento. Assim, você tem uma diversificação maior de rendimentos.

Segundo, há duas opções no mercado que são alternativas mais seguras e que rendem mais do que a poupança, pois isso, têm sido as mais indicadas: o Tesouro Direto, para investimentos a longo prazo e o CDB, para investimentos a médio prazo. No caso do Tesouro Direto, sugiro que procure um banco de investimento para não pagar taxas administrativas que os bancos costumam cobrar. E o CDB é bom para quem quer ter uma garantia para questões emergenciais.

Espero que eu tenha te ajudado de alguma forma, mas se tiver qualquer dúvida, deixa aqui nos comentários ou mande nas nossas redes sociais ou até por e-mail contato.aqueleblog@gmail.com.

Beijos e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)