Fala Patti: sobre como o amor mudou meu dia


Era sábado, seja e meia da manhã. Eu acordo, papi e mami me recebem com calorosos parabéns, abraços e beijos. Era o meu aniversário. 30 anos.
Mas, para que esse post faça algum sentido, preciso narrar a minha rotina de semanas antes.

Nos últimos dias, passei por um desgaste emocional muito intenso. Eu sei, todo mundo tem problemas (não só eu, diferentona).. E, sinceramente, eu já não estava mais tão animada em comemorar meus 30 anos.. As coisas que eu queria fazer não rolaram - e eu fiquei bem chateada com isso.
Quando, na sexta, percebi que teria que trabalhar no sábado, aí foi a gota d'água. Quem me conhece sabe o quanto eu amo fazer aniversário, mas desculpa.. Nada salvaria aquele. Ia ser o pior dos últimos 30 anos.

Então, voltando para o sábado, acordei cedo, recebi o carinho dos meus pais e fui trabalhar. A cada ligação que eu não conseguia atender ou a cada mensagem que eu não conseguia ler, meu coração derretia um pouquinho. Não consegui atender minhas tias que sempre ligam, não ia estar um pouquinho com meus pais e minha irmã... Tava tudo dando errado.
Foram quase 12h de trabalho, saí correndo em meio a um temporal, fui pra casa, tomei um banho e fui para o barzinho onde ia encontrar meus amigos.


Foi aí que eu parei um pouco, como se eu tivesse saído de mim e ficasse assistindo. As pessoas que me escreveram no Facebook, escreveram coisas lindas... Escreveram sobre a nossa amizade, sobre votos de amor e paz. Chorei lendo muitas delas (se não, em todas!). Meus pais que fizeram tudo para que meu dia fosse especial (com jantinha de aniversário no dia anterior, carona animada pro trabalho... Todo o esforço para que eu conseguisse aproveitar o meu dia, na medida do possível). Minha família, tias, primas, que não conseguiram falar comigo, deixaram um recado mesmo assim... Seja por redes sociais, ou por ligações no dia seguinte... Meu noivo que se mobilizou para que tudo desse certo naquele dia! E meus amigos que foram no barzinho, iam chegando com um sorriso no rosto... E para todos, eu dizia "ahhh que bom que você veio".. e a resposta era quase sempre "que isso! Você merece".

"Você merece!"

Tipo... sério? Eu mereço mesmo?

Eu sei, sem maiores mimimis, eu sei que eu sou amada. Eu sei disso! Mas, talvez, nos últimos tempos eu tenha empregado tanto tempo e energia para demonstrar o que eu sinto para as pessoas que me esqueci de receber. Esqueci de ouvir o quanto eu sou amada. Entende?

Tive esse insight no bar e lá mesmo parei pra pensar no meu dia, na minha semana ruim, nas mensagens que eu recebi nas redes sociais, nos amigos que lotaram o bar... E gratidão!
Entendi que tão importante quanto dizer que ama, botar pra fora, é ter o coração aberto pra receber. E desfrutar mesmo, de cada manifestação de amor recebida. Cada abraço. Cada risada!
Eu comentei com algumas pessoas que sonhava com o meu aniversário de 30 anos desde os 20, quando vi que caía num sábado. Nem no meu melhor sonho eu imaginei o que aquele dia seria tão especial quanto foi. Mudou a minha semana. Mudou meu humor. Mudou minha energia.


Eu continuo com os meus problemas (diferentona), eu continuo com o ritmo intenso de trabalho (tanto que trabalhei no domingo quase o dia todo). Mas é como se eu tivesse recebido uma carga gigante de ânimo. Como se todo mundo que ligou, escreveu e esteve comigo, além de votos de aniversário, tivesse dito também "ei, princesinha... Estamos aqui, viu? Você nunca está sozinha".


Só consigo sentir uma gratidão infinita por tudo isso. Espero que eu tenha retribuído a altura todo o amor recebido!
Muito obrigada!!! <3



PS.: Ainda não consegui responder todos os recadinhos do Facebook, mas li todos (mais de uma vez) e vou responder um por um! Obrigada!!!


Um comentário:

  1. Sempre me emociono com você. Uma pessoa incrível a quem admiro muito. E sim, sempre estaremos aqui para você assim como sabemos que você para nós.

    ResponderExcluir

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)