#PallomaVaiSecar: deu ruim REAL! (2)


Pois é, não voltei para academia, ando derrapando com freqüência e, sim, minha ansiedade tá me abraçando. Apesar de eu estar mais controlada (= no controle da minha cabeça), ainda estou ansiosa. É um problema psíquico? Sim. Mas deixa marcas no corpo. E é dessas “marcas” que vou falar hoje.

Depois de quase 10 dias experimentando níveis de ansiedade absurdos, que resultaram nos ataques de gordice que descrevi na semana passada (e que repeti ontem quando ataquei um pote de sorvete na casa do meu tio), vieram os sintomas na carne. Não sei se já aconteceu com vocês, mas tinha dor em absolutamente todos os pedaços do meu corpo. Parecia que tinha emendado duas aulas de Mahamudra com três de crossfit e uma de pilates, que é para ficar esperta. 

A musculatura reage a stress seriamente, sabiam? Uma vez, entrevistei um fisiologista que me explicou que, na época das cavernas, a ansiedade servia para preparar o ser humano para uma luta ou uma fuga. Ou seja,o corpo rege a um leão na sua frente ou ao seu chefe falando “preciso conversar sério com você no final do dia”, do mesmo jeito. Só que o leão não mandava recado, então essa sensação era bem curta. E do leão você poderia tentar fugir ou atacar, o que não acontece no saco do seu chefe.  Isso é só um exemplo, tá? Minhas lideranças corporativas não tem nada a ver com isso, muito pelo contrário. 

Segundo problema da gatinha, crise de choro. Teoricamente, a gente escolhe quando ri, quando chora, quando tudo. E se você é ansioso, na prática, só reza para não dar um vexame muito grande. Semana passada, comecei a chorar copiosamente na minha mesa de trabalho e simplesmente não conseguia parar. Sendo bem sincera, acho que nem respirava. Por sorte (uma dessas sortes muito maravilhosas da vida!), trabalho com duas amigas, que conhecem o meu histórico e me ajudaram a parar. 

Terceiro ponto: dedos travados. Acontece que, quando estou ansiosa, fico com problemas de concentração. Exemplos? Escrever oito e-mails ao mesmo tempo porque fico tendo insights de vários assuntos, um atrás do outro, a ponto de nem conseguir anotar uma ideia antes do pensamento seguinte chegar. Quando estou no teclado, até passa, a mão inteira fica doendo, RS. Mas se estou na rua ou em casa e paro para anotar as coisas no celular, lascou-se. Porque além de tentar tomar nota das coisas, quero responder uma mensagem, ver se as Kardashians postaram alguma coisa no Instagram, baixar Snapchat, conferir as atualizações no Facebook, incluir um compromisso na agenda da Mary Kay, perguntar se a cliente gostou da base, tomar nota de uma ideia de demonstração e...   O que eu vim fazer aqui mesmo? Ah sim, claro! Vim destruir os meus dedões! Sério, gente, outro dia não conseguia segurar a escova de dente porque meu dedão não respondia!  

Não voltar para a academia tem a ver com essa falta de concentração. Não me imagino fazendo nenhum exercício repetitivo. Ou ficando no elíptico 30 minutos. Fico pensando com o que vou ocupar a cabeça naquele meio tempo. Não me venha falar vai ser com os exercícios porque já deu pra perceber que eu mantenho várias abas abertas no meu navegador cerebral. 

Isso me leva a outro efeito colateral muito interessante: a ansiedade por ficar ansiosa. Quando você não sabe que tem o problema, ele simplesmente brota. Mas quando você tem a consciência e identifica situações que engatilham as crises, você evita estas situações ao máximo. Já disse aqui que a ignorância é uma benção? Não? Que conste nos autos. Se começo a fazer o caminho da academia, por exemplo, já penso que chegando lá não vou conseguir fazer as coisas, que esse fracasso vai me deixar ainda mais ansiosas e aí fico ansiosa só de pensar em estar muito ansiosa. 

Não é simples. Desarmar essa armadilha na cabeça é bem complicado. Por isso, dá-lhe terapia na gordinha! De verdade, com ou sem ansiedade, de amanhã essa academia abençoada não passa. Até porque sei que, apesar do risco de começar a chorar em cima de algum aparelho, liberar endorfina durante os exercícios vai me fazer um bem muito maior do que comer um hambúrguer. 

Para quem se preocupa, quero dizer que estou bem melhor que na semana passada. Quero agradecer todos os comentários carinhosos e de incentivo, representaram muito para mim. Vocês são uns lindos! Na semana que vem tem mais. Não sei exatamente o que, mas tem, tá? BjkS!

 
Instagram e Twitter: @pallomamina
Snapchat: palloma.mina


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)