#PallomaVaiSecar: a autoestima





(PS: escrevi este post ouvindo Sim, da Sandy. Vale a pena o clique, people!)

Hoje o post não é sobre a dieta. É sobre um efeito colateral que já está me afetando no meio do processo. Chama-se: aumento incrível da autoestima. Nada, nada no mundo mesmo, é mais bacana que isso. Juro!

Quem acompanha os posts desta saga desde o início, deve lembrar que comecei o processo de emagrecimento  por conta de questões de saúde e não por falta de autoestima. E é verdade absoluta. Eu me sentia a mulher mais delícia do mundo dentro do meu peso de três dígitos. Entretanto, o processo de emagrecimento, com as suas dores, restrições, readaptações e esforço, obriga a gente a pensar no próprio corpo todo dia. Isso eu não fazia antes. Eu nunca era a minha prioridade. Sabe aquela coisa de você pensar na família, no trabalho, nas contas pra pagar e não lembrar de tirar a maquiagem antes de dormir porque afinal de contas a sua pele não é tão importante? Então!

A conseqüência de ter consultas com a nutricionista na minha agenda, de parar para comprar alimentos saudáveis para mim, de ter que mandar ajustar as minhas roupas, de ter que usar loção firmadora para pele para garantir que vai estar tudo no lugar quando tiver perdido todo o peso que preciso e de tentar com todas as minhas forças ir para academia (embora estas forças ainda não sejam o suficiente, rs) é que eu tomei posse do meu corpo. 

Mary Kay Ash tem uma frase sobre gestão de pessoas que se adequa super a este momento da minha vida. “As pessoas apoiam aquilo que elas ajudam a criar.” Este corpo novo, eu quis inventar. Eu quis mudar de estilo de vida. Eu quero saber que não estou à beira de uma crise de hipertensão ou no limite para virar diabética. Como fui eu que inventei essa jornada, é claro que a apoio. Hoje eu conheço cada pedacinho do meu corpo. Eu sei que meus cotovelos estão ressecados, que se eu usar sapatilha uma semana a unha do dedão do meu pé direito encrava e que, quando eu durmo oito horas numa noite, acordo a mulher mais linda do mundo na manhã seguinte.

Nunca estive tão atenta à mim, nunca tinha feito tanto por mim. Mesmo quando tratei a depressão, o esforço era pra encontrar fora de mim motivos para vencer a doença. Hoje o movimento é inverso. Se eu tenho um problema, mergulho dentro de mim para encontrar uma solução. Isso me dá tanta segurança, que não me escondo mais. Nem dos desafios da vida, das fotos com as amigas magrelas e nem dos elogios.

Eu tinha uma dificuldade imensa de receber elogios sobre a minha aparência. Como eu sabia que não fazia quase nada por ela, sempre achava que os elogios eram exagerados, que eram apenas fruto dos olhos maravilhosos das pessoas que me cercam. Hoje, sabendo o quanto eu ralo por este corpinho, que pra sempre vai ser plus size considerando que tenho 1,75 e ter curvas sempre vai ser o plano, acho os elogios justíssimos.
Recebi alguns elogios quando postei esta foto. Eu sei, gente, tô gata pra caramba! Já posso assinar Khloé Mina ou Palloma Kardasian? Rs!

Agora que contei o milagre, preciso compartilhar com vocês quem são os santos. Primeira, a análise. Todo mundo deveria fazer análise para aprender a se enxergar, a entender a dimensão dos problemas nas nossas atitudes e o quanto as nossas atitudes podem nos causar problemas. Como diz Lulu Santos, ninguém nasce para perder ou para sofrer. Conheço várias pessoas que se acomodam no papel de vítima das circunstâncias por conta de acontecimentos da vida e lá ficam. Só é preciso lembrar que as vítimas nunca são os vencedores. Os vencedores são aqueles que resolvem fazer alguma coisa extraordinária com suas vidas apesar de já terem tido problemas muito sérios na vida. Todo mundo tem problemas, mas se você for para a análise com certeza vai ser apresentado à solução para os seus.

Segundo, tenho dedicado cada vez mais tempo a uma empresa que me quer maravilhosa. Eu amo o jornalismo, quis ser jornalista desde os 11 anos de idade e, de verdade, acho que nasci para este ofício. Mas um bom repórter é sempre o coadjuvante das histórias, é o cara que vê as coisas acontecerem e conta para os outros. A gente não interfere nos fatos. Eu tinha importado isso para a minha vida, eu não era a protagonista da minha história. Hoje, sendo consultora de beleza da Mary Kay, eu não só sou a protagonista da minha história, decidindo quanto e como eu vou ganhar o meu dinheiro, como sou fada madrinha da história de outras mulheres.

Pra vocês verem como Participar de treinamentos da Mary Kay emagrece. Esta sou eu tietando a minha Diretora Nacional Isabella costa Nova em dois momentos: o primeiro em fevereiro e o segundo há dois dias. É muita bochecha, Brasil!
Dinheiro nenhum paga quando eu escuto um “eu nem sabia que eu era tão bonita. Muito obrigada” no final de uma sessão. Por mais que a pessoa não leve nada, já vou ter ganhado o meu dia. Não sei se estou falando alguma ande bobagem, mas alimentar a autoestima de outras mulheres é um combustível e tanto para a minha própria autoestima. Eu amo a minha pele, sei que faço o melhor por ela. E amo estar na minha pele, poucas pessoas tem a oportunidade de ter sucesso ajudando outras mulheres a se sentirem um sucesso.

Terceiro, tem um livro chamado “O segredo das Mentes Milionárias” que fez um milagre na minha vida. Fala muito pouco sobre finanças, mas muito sobre como as coisas que a gente ouve na vida afetam o nosso modelo financeiro. No meu caso, caíram fichas sobre todas as áreas, o que incluiu o meu modelo de mulher ideal. Pagar as contas e estar “arrumadinha” para trabalhar não é mais o suficiente para mim. Eu vou trabalhar para ter uma viagem internacional por ano, jantar em restaurantes com 5 estrelas na avaliação da Vejinha e me sentir maravilhosa todos os dias da minha vida. Eu mereço!

Vocês, minhas lindas, também merecem. Talvez vocês não precisem emagrecer como eu ou achem que postar uma foto de lingerie no Facebook é demais, eu pensava assim há um ano. Que eu não precisava mexer em nada no meu corpo e que muitas fotos nas redes sociais era coisa de quem quer aparecer, super entendo quem pensa diferente de mim, rs! Mas eu gostaria muito que todas vocês se sentissem como eu me sinto hoje: dona do meu corpo e do meu destino. Vocês merecem!

Na semana que vem vou falar sobre a contagem regressiva para Punta Cana e para o fim da dieta. Será que vou bater a minha meta no prazo que planejei? Até lá, me sigam nas redes sociais. Atendo pela arroba @pallomamina no Instagram e no Twitter.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)