#PallomaVaiSecar: deu ruim REAL!




Pessoas, eu falhei. O post sobre a minha semana na academia não existe hoje pelo simples fato de não ter ido à academia. Ponto. Aí vocês vão me perguntar porque isso aconteceu (ou não aconteceu? Tô na dúvida!) e a resposta é simples: não segurei a onda da minha ansiedade.

Já estava na minha programação fazer um post sobre a importância da mente sã para ter um corpo são, mas não esperava ter um exemplo tão bom (ou ruim? Ainda em dúvida...) para ilustrar. Negócio é o seguinte: estou eu em vias de tomar decisões muito sérias em relação à minha vida, entretanto são decisões que não dependem apenas de mim, e as pessoas envolvidas não desencantaram. Não por sacanagem, mas por motivos de nem sempre a gente consegue fazer o que precisa fazer quando quer fazer.

Eu sabia desta impossibilidade. Eu sei do impacto dessas decisões na minha vida. Eu queria resolver tudo logo, mas não dava pra resolver nada. Eu tentei adiantar as coisas ao máximo, correr atrás de tudo o que fosse possível, me munir do maior número de informações para tomar a melhor decisão. Tenho um perfil muito realizador. Nada me deixa mais satisfeitas que uma lista de To Do zerada e nada me deixa mais angustiada do que modo de espera em qualquer coisa.
Como essa decisão é gigante, gerou uma ansiedade gigante. Essa ansiedade gigante me paralisou nas coisas “pequenas”. Tipo, ir à academia é simples, mas eu não fui. Me manter na dieta? Também é simples, mas comi hambúrguer três vezes na semana passada. Meu péssimo (aqui não tem dúvida!) e antigo hábito de fazer a comida de amiga nas horas difíceis deu as caras de novo. 

Coincidência o não, semana passada não tive a minha sarada sessão de terapia porque a minha terapeuta foi a um congresso. Daqui a pouco, quando eu contar isso todo para ela, vou tomar um puta esporro. Mas enfim, eu a pago pra isso mesmo. Eu, como todo mundo, preciso de esporro bem fundamentado de vez em quando.  

O meu problema psíquico (aqui eu acho que caberia característica de personalidade, mas não vou tapar o sol com a peneira. As pessoas sofrem sim com doenças mentais, tá na hora de tirar esse assunto do armário!) é a ansiedade. E ela é uma faca de dois gumes. Por exemplo, nunca produzo tanto e tão bem quanto como estou sob a pressão de um fechamento. Quando sei que faltam horas para entregar um texto, a inspiração vem, as falas das fontes se encaixam, parece que tudo fica perfeito como mágica. Por outro lado, quando estou em fechamento, só penso no fechamento, paro toda a minha vida e a minha melhor amiga vira a comida.

Nesta última semana, minha produção no trabalho ficou muito aquém da minha capacidade porque a tal decisão é relacionada a minha vida pessoal. Não dei um passo em direção à minha meta da dieta e, pior, faltei em todas as sessões da fisioterapia. Eu parei a minha vida à toa, porque, como disse para vocês, não consegui resolver nada. Olha que legal! Só que NÃO!

Lembram que há duas semanas citei Mary Kay Ash dizendo que “um dos segredos do sucesso é se recusar a deixar que adversidades temporárias nos derrotem”? Eu deixei. E eu faço isso sempre, infelizmente.  Mesmo que tivesse conseguido resolver a tal questão, se a gente tem um problema, não pode parar a vida por causa disso. Isso só gera mais e mais problemas! Por sorte, não me meti em nenhuma encrenca no trabalho, mas o tempo que eu perdi de dieta e exercícios vão virar banha no meu biquíni em Punta Cana, impreterivelmente. Pensei que já tinha aprendido essa lição. Descobri que não, que preciso aprender todos os dias.

Desde o começo sabia que contar uma dieta em tempo real ia ter este risco, não pensei que fosse cair nessa armadilha de praticamente parar o processo, mas cá estamos. Vida real é sobre os tombos que a gente leva e não as cachaças que a gente toma. Se vocês desistirem de mim, vou entender super! Rs. Eu não vou e nem posso desistir de mim, porque, afinal de contas, a pessoa mais importante da minha vida sou eu!

Mais uma vez, a vida me prova que a minha maior dificuldade na vida é controlar a minha cabeça e consequentes emoções. Na verdade acho que este é o maior desafio de todo mudo, tem gente que faz isso bem e tem gente que é Palloma. De verdade, na próxima semana espero contar para vocês como superei a ansiedade e fui parar na academia. 

Existe o sério risco de não rolar, porque a tal questão, que virou um elefante sentado na minha sala, ainda não foi resolvida e eu preciso trabalhar com a realidade. Vai ser uma semana de trabalho duro, followers! Torçam por mim!

Instagram e Twitter: @pallomamina
Snapchat: palloma.mina


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)