Devaneios de uma mulher multifuncional


Quem me conhece sabe que o meu dia a dia é sempre uma correria. Só que esses dias fiquei me perguntando: até onde tudo isso vale a pena? Te explico o porque dessa pergunta. 

Desde que nascemos já sofremos cobranças da etapa seguinte da nossa jornada, certo? E nem digo que sejam só as cobranças da nossa (não tão) querida sociedade, mas as nossas mesmo, principalmente em razão das expectativas que criamos ao longo da vida. "Qual faculdade você vai fazer", "você namora?", "quando casa?", "onde trabalha?", etc. 

Nisso tudo, vamos admitir que a mulher carrega a maior responsabilidade em tudo: ser filha, estudante, empregada ou empregadora, namorada ou noiva ou esposa, dona de casa, mãe, avó...São mil e uma faces que assumimos. (Não desmerecendo o papel do homem)

Ziraldo
E só eu penso que, talvez, a revolução feminista por direitos "iguais" tenha contribuído com essa sobrecarga, não só de funções, mas também de emoções? (Acalmem-se, feministas, pois acho muito importante a independência da mulher numa casa e todas as suas conquistas.)

Mas será que não teríamos um mundo melhor com filhos educados por mulheres em casa, pelo menos no período da infância? Porque mesmo com a participação maior dos homens, o papel da mulher/mãe não deixou de ser o principal. Será que as mulheres se exigiriam tanto como hoje em dia em ser a Mulher Maravilha, quando ser perfeita e estar em todos os lugares é impossível? 

Sou casada há quase 2 anos e meio e a pergunta que eu e meu marido mais temos ouvido é "Quando vocês terão seus filhos?". Eu sempre gostei muito de crianças, mas sinceramente filhos não têm sido a prioridade ainda, não só pelas metas que tenho antes dessa etapa, mas porque, sim, admito que tenho medo de não dar conta do recado. 

Lembram do meu post 'Troque Experiências'? Pois bem, por todos esses meus conflitos diários, de uma pessoa que quer abraçar o mundo fazendo tudo ao mesmo tempo, eu tenho conversado com algumas mulheres que desempenham todas essas funções e têm todos esses questionamentos e vi que a responsabilidade da mulher nunca diminui ou é a mesma, só aumenta e que eu vou precisar abdicar de algumas coisas, para conseguir fazer/ ser tudo o que eu preciso. E isso não é ruim!  

Sou mega exigente e tenho trabalhado esse pensamento em mim ultimamente, pois vivemos numa época em que os valores estão trocados. Em que o 'ter' é mais importante que o 'ser' e acho que isso tem influenciado no aumento das ansiedades diárias. 

Mas tem uma coisa que me chamou muita atenção nessas conversas de forma unânime e Nietzshe já tinha um pensamento perfeito para isso: 

Se houver amor em sua vida, isso pode compensar muitas coisas que lhe fazem falta. Caso contrário, não importa o quanto tiver, nunca será o suficiente. 

Ufa! Que assim seja!

Vocês também passam por todos esses conflitos? Como lidam com eles? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)