Se a minha vida fosse um seriado...


... Como seria a primeira temporada?

Yayy!
Mais um tema ~chocante~ do Rotaroots.
Você já pensou se a sua vida fosse um seriado? Como seria o roteiro da primeira  temporada?



Quando eu vi esse tema, logo pensei nas minhas duas séries favoritas: Friends e How I Met Your Mother. E eu teria que dizer que, como personagem principal, eu seria uma mistura de Lily Aldrin com Mônica Geller.
Também poderia dizer que a trama começaria na escola, mais especificamente no ensino médio, onde tive minhas melhores vivências escolares, se é que podemos chamar assim. Mas resolvi que o roteiro já começaria comigo na famigerada vida adulta. E a trilha sonora toda de Belle & Sebastian. <3

E eu poderia ser uma personagem forte, cheia de segurança e personalidade. Convenhamos, essa não seria eu nem aqui e nem na Conchinchina! Então, acho que eu seria daquelas pessoas que tem um emprego que não gosta tanto, que tem um bom círculo de amigos, que tem um noivo que é a mistura de Marshall Eriksen com Chandler Bing (com certeza!). Moraria em uma grande cidade, e teria independência.
Pra vida não ser tão amarga pro meu lado, eu teria um cabelo bacana e um carro esportivo (ok! Eu não posso ter um emprego ruim e um carro esportivo. Vamos deixar o carro pra lá, então...)

Eu teria uma melhor amiga, que seria uma deusa de linda (é sempre assim, né?), mas que sempre estava em conflito com os relacionamentos que conseguia emplacar. Também teria um melhor amigo bonitão e pegador, mas que no fundo sabia que levava uma vida vazia. E eu ia ajudá-los a ver o lado bom da vida.

Então iríamos viver todas as loucuras das cidades grandes: festas, bares e liquidações de lojas de grife. 

... Pensei agora, eu poderia ter um emprego super legal: poderia ser detetive ou trabalhar em uma famosa empresa de eventos, ou algo do tipo. Eu organizaria festas e casamentos e seria remunerada pra isso. Para dar o 'quê' de crise (porque, pra personagem principal não ter nenhuma crise, é utópico até quando se trata de programas de tevê), eu teria uma chefe mala que não me daria sossego. E clientes mais malas ainda.

Nesse contexto, não vejo como não incluir o carro esportivo.

Como não abro mão do cabelo divo, eu teria que ter outra crise na vida (porque, para um carro esportivo e um cabelo divo, toda crise é pouca): poderia brigar com a amiga deusa e o amigo bonitão e pegador ser apaixonado por mim - e pela amiga deusa ao mesmo tempo.
E, por fim, para me caracterizar por completo, eu teria que ter uma mania super irritante. Um TOC. Ou algo que me tornasse um pouco chata.

E a primeira temporada terminaria com uma separação inesperada (não necessariamente a minha) e/ou uma festança de casamento (não necessariamente o meu).

Óbvio que não seria um roteiro diferente das duas séries acima citadas e nem seria um roteiro inspirado no que eu vivo hoje. Seria totalmente ficcional, porque de realidade já basta a vida, né? 
Seria daqueles seriados para assistir em dias frios, debaixo do cobertor, sem a pretensão de ser complexo ou de passar uma lição de moral. Seria divertido e envolvente. E seria muita, mas muita água com açúcar. 

[Esse post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots. Um grupo de blogueiros saudosistas que tentam resgatar a era de ouro dos diários virtuais].


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar sem utilizar um login do Google basta usar a opção Nome/URL.
;)